INSTITUIÇÃO

Oferecer a todas as pessoas com deficiências a possibilidade de praticar um esporte, resgatar a autoestima e melhorar a qualidade de vida.

Organizar a participação de atletas brasilienses em competições regionais, estaduais e nacionais.

Representar o movimento Paralímpico brasiliense buscando a promoção e o desenvolvimento do esporte de alto rendimento para pessoas com deficiência.

A prática dessa modalidade esportiva beneficia alunos com diagnósticos variados, como: lesão medular - adquirida ou congênita; paralisia cerebral; acidente vascular cerebral (AVC); atraso no desenvolvimento, dentre outras limitações físicas e intelectuais. Sendo assim, oferecemos a oportunidade de investir em si mesmas, descobrir o potencial de cada um e buscar a força para viver.

Aqueles que abraçam esta oportunidade se beneficiam de importantes ganhos psicológicos, por meio da melhora da autoestima, da autoconfiança e da inclusão social. Queremos disponibilizar a sociedade, principalmente aos deficientes físicos, condições para aprender este esporte e formar atletas.

Ser reconhecida com uma entidade de alta credibilidade, para que seja possível alavancar apoio em novos projetos, e mais pessoas possam ser atendidas.

Nossa principal meta atualmente é a divulgação e a propagação do Projeto Vela Para Todos em todos os níveis, incentivando a partir da nossa experiência, o incremento de novos projetos na cidade e em todo o País.

  • Solidariedade
  • Voluntariado
  • Igualdade
  • Inclusão Social
  • Valorização do Cidadão
  • Resgate dos Excluídos
  • Autoestima

HISTÓRICO

A FBVA (Federação Brasiliense de Vela Adaptada) surgiu a partir do trabalho realizado com pessoas com deficiências. O Projeto foi iniciado por Mauro Osorio, Presidente de FBVA, e por Bruno Pohl, Coordenador Técnico. A motivação para criação do projeto está amparada ao nosso principal lema: Vela é Para Todos. Com isso, criamos vários programas que atendem todos os tipos de pessoas com deficiência.

No ano de 2009, criamos em Brasília o Núcleo de Vela Adaptada de Brasília para nos dedicar voluntariamente às pessoas deficientes para que assim elas pudessem vivenciar e aprender uma nova atividade lúdica e desportiva, a Vela Adaptada. O trabalho iniciou-se com o atendimento às pessoas deficientes físicas, com total apoio do Comitê Paralímpico Brasileiro e da Confederação Brasileira de Vela Adaptada, voltado para a formação de atletas visando à participação em Jogos Paralímpicos. Deste trabalho surgiram inúmeras oportunidades de convênios e parcerias, e com isso, alcançamos novos patamares de eficiência e, consequentemente, de exigências.

Também em 2009, a Comissão Australiana de Esporte contatou a Confederação Brasileira com a proposta de que o Núcleo de Brasília atendesse, além das pessoas deficientes físicas, também as pessoas deficientes intelectuais, em geral portadoras de síndromes ou com déficits cognitivos. A proposta australiana estava amparada em estudos científicos que revelavam o grande desenvolvimento cognitivo de pessoas com deficiências intelectuais quando envolvidas com a modalidade da Equoterapia (Hippotherapy), aliada à possibilidade de adaptação daquela técnica terapêutica à modalidade da vela adaptada.

Segundo os informes dos trabalhos realizados pelos australianos, o ato de navegar forneceria estímulos sensoriais através dos movimentos da embarcação, que são variáveis e repetitivos. A variabilidade do “caminhar” do veleiro permite que se avalie o grau de percepção sensorial dos alunos, e em seguida, utilizar esta atividade em combinação com outros tratamentos clínicos e alcançar os resultados desejados. O balanço do veleiro estimula bastante o deslocamento do corpo no espaço e, desta forma, exercita o equilíbrio, a coordenação, o tônus muscular e a postura. Além disso, possibilita ganhos psicológicos aumentando a autoestima e a autoconfiança. Agregado aos aspectos motricionais da atividade, tem-se ainda o efetivo engajamento do aluno na atividade por ser ele mesmo o comandante do veleiro, gerando a necessidade de desenvolvimento de seus conhecimentos e percepções.

No decorrer das velejadas, os técnicos e professores estimulam os alunos quanto à fala, linguagem, lateralidade, cor, organização, orientação espacial e temporal, memória, percepção visual e auditiva, direção, análise e síntese, raciocínio, entre vários outros aspectos. Na questão da sociabilização, a arte de navegar ainda é capaz de diminuir a agressividade, e tornar a criança mais sociável, diminuindo antipatias, construindo amizades e treinando padrões de comportamento como: ajudar e ser ajudado, diminuir e aceitar regras, encaixar as exigências do próprio indivíduo com as necessidades do grupo e aceitar as próprias limitações e as do outro.

O projeto além de seu interesse social vai além, pois se propõe ainda a propiciar a chamada inclusão reversa – processo participativo no qual o indivíduo sem deficiência experimenta programas especificamente desenvolvidos para a pessoa com deficiência. Na proposta de participação concomitante de crianças, com e sem deficiências, ambas descobrem no mundo da vela adaptada identidades e parcerias nas quais as deficiências se anulam. Os barcos por serem de fácil manuseio, possibilitam o aprendizado e a atividade desportiva em situação de completa e integral igualdade de condições. Os alunos vivenciam os mesmos desafios, gerando um estímulo sensorial em comum e ainda um espírito de equipe apurado, tornando dos atletas um time único em busca de objetivos.

A proposta é que as crianças deficientes não só façam as mesmas atividades, mas que as façam em parceria com as demais crianças. Não basta velejar, tem-se que velejar com os outros. Os alunos respondem entusiasticamente a esta experiência de aprendizagem agradável em um ambiente natural. A terapia da navegação encerra em melhoras no equilíbrio, postura, mobilidade e função, afetando também as funções psicológicas, cognitivas, comportamentais, e comunicativas em alunos de todas as idades. São beneficiados por esta modalidade lúdica-desportiva e, agora terapêutica, alunos com inúmeras variedades de diagnósticos, nelas se incluindo a paralisia cerebral, esclerose múltipla, atraso no desenvolvimento, lesão cerebral traumática (PCE), acidente vascular cerebral (AVC), Síndrome de Down, Autismo e Distúrbios da aquisição da linguagem e da aprendizagem.

Recentemente, fomos convidados pela entidade Special Olympics Brasil para desenvolvermos projeto para prepararmos tripulações de crianças com Sindrome de Down para participação em competições internacionais. O projeto atende, de forma indiscriminada, todas as pessoas com necessidades especiais, inserindo-as no contexto desportivo e social, através da prática da Vela Adaptada e do desenvolvimento do esporte Paralímpico, estimulando o espírito de solidariedade e respeito entre todos os participantes e envolvidos, aprimorando o senso de responsabilidade, companheirismo e cidadania, com o estímulo ao desenvolvimento da tomada de decisões. O projeto se propõe também a descobrir e desenvolver novos atletas e talentos da Vela, preparando-os para nos representar nas competições locais e internacionais. Em paralelo à finalidade primeira, promove-se ainda a capacitação, aprimoramento e reciclagem dos profissionais envolvidos no projeto, com a preparação de novos profissionais de educação física, fisioterapeutas e auxiliares engajados na lida diária e voluntária com nosso público-alvo.

Outra vertente abraçada pelo programa foi o atendimento às crianças e adolescentes portadoras de câncer e hemopatias e às pessoas com deficiências visuais. Nesse ponto do programa, o lado social imperou como alavancador da inserção dessas pessoas em nosso meio como forma de amenizar as vicissitudes da vida.

ESTRUTURA

ESCRITÓRIO

a FBVA está localizada dentro do clube Cota mil, parceiro nosso e oferece estrutura para o trabalho com qualidade e acessibilidade

BARCOS

  • 6 barcos Hansa 303 (2 lugares por barco e límite160kg);
  • 8 barcos hansa 2.3 (1 lugar por barco);
  • 3 barcos 2.4 mr (1 lugar por barco);
  • 1 Dingue (2 lugares por barco);
  • Outros.

DIAS DE FUNCIONAMENTO

3ª, 4ª, 5ª, 6ª feira e SÁBADO • das 9h às 11h

3ª, 5ª feira e SÁBADO • das 14h às 16h

PATROCÍNIO

APOIO

PARCEIROS

EVENTOS / INSCRIÇÕES

CLIPPING

VÍDEOS

veja mais

REDES SOCIAIS

NOTÍCIAS

Campeonato Mundial na Alemanha - Junho 2017

Campeonato Mundial na Alemanha

Superação, determinação e espírito de equipe, esses são os atributos que os velejadores da Vela Adaptada, que compõem o Time CotaMil/BRB, levarão em suas bagagens para o Campeonato Mundial da modalidade na Alemanha.

O ano de 2017 está tendo um sabor especial para os velejadores e pessoas atendidas pelo Projeto “Vela Para Todos”, pois após inúmeras conquistas e desenvolvimento do programa, eles agora novamente experimentarão o desafio de representar o Brasil numa disputa internacional.

A delegação do Time CotaMil/BRB estará representando a cidade de Brasília e o Brasil no Campeonato Mundial de Vela Adaptada que terá como palco das disputas as águas do Mar Báltico na cidade alemã de Kiel, a partir do dia 19 de junho próximo.

O evento terá 20 regatas ao todo, e seu encerramento se dará no dia 26 de junho.

Os atletas de Brasília são os únicos brasileiros selecionados para essa participação. Essa será a segunda vez que o Brasil e a América do Sul são representados num evento mundial da Classe Hansa 303 e os brasilienses levarão para a Europa a responsabilidade e a expectativa de novamente buscarem o pódio como no ano passado quando a velejadora Ana Paula Gonçalves Marques foi a segunda colocada entre as mulheres no primeiro campeonato fora do país.

A Cidade de Kiel é considerada um dos maiores centros de Vela na Europa e por lá são realizados os mais importantes eventos mundiais. Segundo as palavras de Lars Grael, grande incentivador da equipe brasiliense, Kiel, local da realização do campeonato, pode ser considerada a “Wimbledon” da Vela, tamanha a importância e o respeito pelos velejadores. Ele arremata indicando se tratar da “Meca da Vela Mundial”. Lars Grael estará apoiando a equipe enviando mensagens com várias dicas da raia de Kiel que conhece profundamente.

O evento, que contará com a participação de mais 80 atletas representando 39 países, terá a participação de brasileiros graças ao apoio do próprio Cota Mil Iate Clube, do BRB – Banco de Brasília, Iades – Instituto Americano de Desenvolvimento, da TravelAce, da Embaixada dos Emirados Árabes Unidos e, principalmente, do Comitê Paralímpico Brasileiro.

Nossos atletas seguem para a Alemanha capitaneados por seus técnicos Bruno Pohl e Júlio Guaraciaba e terão apoio da voluntária do projeto e velejadora Dione Tubino.

O embarque dos atletas está marcado para o dia 16 de junho e é fruto do fornecimento de passagens aéreas pelo programa Compete Brasília da Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer do GDF. A Secretária e atleta multicampeã Leila Barros ressaltou, quando da entrega das passagens ao Time CotaMil/BRB, que “a participação da equipe em evento de tamanha importância é resultado da dedicação dos atletas e, também, do trabalho da Federação que de forma exemplar consegue elaborar tanto um programa social de altíssima inclusão, como também a preparação de atletas paraolímpicos, demonstrando que o sonho é possível.”.

Lembrou, ainda, a Secretária do seu primeiro contato com a Vela Adaptada anos antes e o quanto os atletas e as pessoas assistidas pelo programa tiveram de ganho na autoestima. Disse quando da premiação recente na Taça Brasília de Vela Adaptada: “fico emocionada e me arrepio ao ver o quanto esse trabalho realizado no Cota Mil com a vela adaptada é valioso ao acolher pessoas com deficiência sem nenhuma restrição, fazendo valer a ideia da verdadeira inclusão social e isso tudo através do esporte e do lazer de forma equilibrada e sensata.”.

A Secretária, por fim, lembrou que a atleta Ana Paula Gonçalves Marques consagrou-se no ano passado como a melhor atleta paralímpica no Prêmio Brasília Esporte 2016 e apontou a importância da parceira do GDF, do Cota Mil Iate Clube e do BRB no engrandecimento do Projeto “Vela Para Todos”.

A equipe, que utilizará barcos da Classe Mundial Hansa 303 alugados pelos organizadores, é formada pelos velejadores Estevão Carvalho e Ana Paula Marques.

Segundo Bruno Pohl, treinador da equipe que com ela seguirá para a Alemanha, os atletas estão vivendo um momento especial, mas não podem perder o foco e tampouco o maior objetivo que é representar sua cidade, seu país e principalmente seus companheiros de Vela Adaptada que aqui ficarão na torcida. Reforçou, ainda, que os resultados em águas internacionais são difíceis de serem previstos, mas, pelo que tem assistido na Internet, não se surpreenderá com uma conquista brasileira, somando- se a isso o empenho dos nossos atletas nos treinos.

E realmente emoção é o que não falta, nossa menina da equipe, Ana Paula Marques, confidenciou a ansiedade pelo dia da competição e desafia as outras meninas dos outros países. Disse que se empenhará muito e que para retribuir a dedicação e todo o trabalho que é desenvolvido de forma diferenciada em Brasília promete buscar o título mundial.

O Atleta Estevão Carvalho Lopes, por seu turno, avalia as dificuldades que terá ao disputar o campeonato com mais de 30 adversários, mas ressalta que se é difícil para ele também será para os demais, isto por saber que não terá nenhum alemão na disputa, o que iguala todos os concorrentes que não conhecem a raia de Kiel.

Para Miguel Cleto, Comodoro do Clube, a convocação dos velejadores para essa segunda participação da Equipe Cota Mil/BRB num Campeonato Mundial deve ser creditada aos vários anos de aprendizado e treinamento dos alunos do Programa “Vela Para Todos” e relembra a importância dos Diretores de Vela do Clube, Diogo Pelles, Eugênio Gerth Brito e o atual Tarcísio do Vale, que foram e são incansáveis apoiadores da Vela Adaptada. Festejou, também, a viabilização da viagem da delegação quer pelo apoio do Compete Brasília, como também pela parceria com o Comitê Paralímpico Brasileiro.

A equipe participa do Campeonato Mundial com o apoio do Cota Mil Iate Clube, do Comitê Paralímpico Brasileiro e do Compete Brasília, contando, ainda, com o patrocínio do BRB – Banco de Brasília, TravelAce, da Embaixada dos Emirados Árabes Unidos e dos Sanduíches Caiçara.

Instrução de Regata da Copa Iades de Vela Adaptada

Segue abaixo no link para o download da IR da Copa Iades de Vela Adaptada que acontecerá dia 25/03/2017

Instrução de Regata

Copa Iades de Vela Adaptada

No próximo sábado dia 25 de março o Cota Mil Iate Clube estará sediando a Copa Iades de Vela Adaptada, com o patrocínio do BRB – Banco de Brasília.

O evento marcará as comemorações do terceiro ano de parceria da Vela Adaptada de Brasília com o Instituto Americano de Desenvolvimento – Iades.

Desde 2015 a Federação Brasiliense de Vela Adaptada conta com o apoio do Iades que viabiliza a contratação dos seus professores de Vela Bruno Pohl, Jorge Baldez e André Chang.

A Copa será realizada na raia sul do Lago Paranoá em percurso especial montado na frente do Cota.

Para Paulo Maia, Diretor Geral do Iades, tem sido uma satisfação o apoio à Vela Adaptada que mostra a responsabilidade social na qual tanto se engaja o Iades. Lembrou, ainda, a importância de todo processo inclusivo, ressaltando os méritos do Cota Mil ao adotar de forma pioneira a acessibilidade plena para as pessoas com deficiência.

O Comodoro Miguel Cleto aplaude e parabeniza o Iades pela parceria e entende que ela coroa o projeto, mostrando o acerto do Cota Mil ao acolher a Vela Adaptada e seus maravilhosos alunos. Aproveitando convidou todos os sócios a conhecer o projeto.

Para a Federação o apoio de tão importante entidade demonstra a credibilidade que o projeto social do Cota Mil tem perante a sociedade.

Instrução de Regata

Carta da Primeira Dama do DF

Brasília, 02 de Maio de 2016.
Prezado Sr. Mauro Osório,
É com grande satisfação que encaminho os meus parabéns pela realização da 2ª Taça Brasília de Vela Adaptada. Gostaria de agradecer pelo convite e registrar a minha admiração pelo projeto realizado em prol das pessoas com deficiência. O parabenizo pela iniciativa de trazer esse núcleo para Brasília, por abrir as portas para a prática do esporte e, principalmente, pela recuperação da auto-estima daqueles que por ventura possam se sentir excluídos. Sobretudo, agradeço sua dedicação e à toda equipe da Federação de Vela Adaptada que, sem dúvida, contribuíram e contribuem para o sucesso desse projeto.
Declaro aqui minha vontade em tê-los como parceiro na realização de ações positivas na construção de uma “Brasília em Rede” em prol da nossa Capital. Cordialmente,

Marcia Rollemberg
Colaboradora e Primeira Dama do Governo do Distrito Federal

saiba mais

Reinício das Aulas

No dia 16 de janeiro serão reiniciadas as aulas dos cursos regulares da Escola de Vela Adaptada da FBVA. O ano de 2016 promete ser recheado de inúmeras novas atividades, projetos e desafios.
O parceiro Cota Mil aguarda o retorno de todos os alunos com a alegria de vê-los em seus barquinhos a colorir a orla do Clube e transmitir suas lições de vida e de superação.
O BRB - Banco de Brasília, em reconhecimento ao valor do Projeto da Vela Adaptada e mantendo seu voto de confiança no trabalho realizado da FBVA, renovou a parceria para todo o ano de 2016

saiba mais

Primeiro Evento do Ano

"VELA PARA TODOS" Passeio APABB Nos dias 19 e 22 de janeiro a Federação Brasiliense de Vela Adaptada promoverá evento em parceria com a APABB, levando as crianças que estão participando da Colônia de Férias para passeio nos barcos adaptados.

saiba mais

Segundo Evento do Ano

Evento Solidário BRB
“Abrace e Veleje no Cota”
No dia 23 de janeiro próximo o Cota Mil Iate Clube em parceria com a Federação Brasiliense de Vela Adaptada e patrocínio do BRB – Banco de Brasília realizará o evento “Abrace e Veleje no Cota”, dentro de sua programação voltada para o atendimento solidário às pessoas necessitadas em todas as suas vertentes.
O Cota Mil, que já atua na inserção de pessoas com necessidades especiais, quer físicas quer intelectuais, utilizando como instrumento de integração o esporte da vela adaptada, reinicia suas atividades em parceria com Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias – ABRACE no primeiro evento solidário de 2016, o “ABRACE E VELEJE NO COTA”.
Conforme já ocorre nos outros eventos em que são atendidos os deficientes intelectuais, os deficientes visuais e as pessoas portadoras de necessidades especiais, no “ABRACE E VELEJE” serão recebidas crianças e adolescentes com câncer e hemopatias que estejam no curso de seus tratamentos, fazendo-as experimentar as delícias da arte de velejar, momento no qual participarão efetivamente das manobras e procedimentos relativos ao ato da navegação, quando lhes serão transmitidas as principais características da atividade de lazer e de esporte da vela, com as suas ideias básicas, as primeiras noções sobre a vela adaptada e a forma com as quais se opera a inserção de pessoas com qualidades especiais no mundo do esporte.
“Brincar faz bem à saúde”.
Certamente em algum momento já se ouviu esta frase. Mas uma pesquisa decidiu investigar o assunto e revelou que esse ato, tão corrente na vida das crianças, representa um mecanismo poderoso para ajudar a recuperar crianças e adolescentes sob os efeitos, por exemplo, da quimioterapia.
Segundo pesquisa realizada em parceria com a USP de Ribeirão Preto, constatou-se cientificamente que as atividades lúdicas, desenvolvidas junto a pacientes internados e em tratamento contra câncer, permitem a melhoria da saúde.
Pelo levantamento da pesquisa, a criança se vê doente por conta do tratamento a que é submetida. A quimioterapia é um tratamento que utiliza medicamentos para destruir as células cancerígenas. Dentro do corpo humano, cada medicamento age de uma maneira diferente. Normalmente, estes medicamentos causam efeitos colaterais intensos, como um profundo mal estar e vômito, e a criança não tem interesse, nem vontade de brincar e comer.
As atividades lúdicas são um meio de socialização e descoberta do mundo. O sentimento expressa com maior clareza a relação entre eles, tornando as atividades prazerosas, pois as crianças recebem um atendimento individualizado, em razão da influência de outras crianças.
Nosso projeto atende crianças e adolescentes em tratamento, bem com suas respectivas famílias.
As atividades serão acompanhadas de perto por bote de salvatagem, tripulado pelo técnico do Núcleo de Vela Adaptada e do Cota Mil, Professor Bruno Pohl, e os participantes serão instruídos à bordo pelo Professor Mauro Osorio e, sem nenhuma exceção, farão uso constante e monitorado de equipamentos de salvatagem, conforme as determinações da Marinha do Brasil, representada pela Capitania Fluvial de Brasília.
Os resultados mensuráveis de eventos anteriores demonstram a potencialização da auto-confiança, liderança e do trabalho em equipe entre os participantes.
A programação do evento, a ser realizado no sábado pela manhã, se iniciará com café da manhã, acompanhado de explicações sobre a atividade e as normas de segurança.
Após a refeição as crianças e suas famílias embarcarão nos barcos para um passeio na região próxima do Cota Mil Iate Clube, com travessias monitoradas entre as margens do Lago Sul e o Pontão. O evento terá a duração aproximada de 3 à 4 horas.
O Cota Mil, mais uma vez, inova nas suas atuações pioneiras, fortalecendo seu protagonismo na realização de projetos de alta responsabilidade social, reiterando, assim, o espírito solidário de seus associados, eterna marca registrada desde sua criação.

saiba mais

IMPRESSOS

impresso
impresso
impresso
impresso

Contato

SCES Trecho 2 S/N Conjunto 26/27 Lote 2 Brasília-DF • CEP: 70200-002 • Tel.: (+55 61) 9 9904.6061 Bruno Pohl • contato@fbva.esp.br